Início >> Resumo

Resumo

O que é o PRODETUR?

É um programa de investimento liderado pelo Ministério do Turismo, que inclui ações nos âmbitos regional, estadual e municipal, tendo por objetivo contribuir para o fortalecimento da Política Nacional de Turismo, bem como consolidar a gestão turística cooperativa e descentralizada, avançando rumo a um modelo de desenvolvimento turístico a partir do qual os investimentos dos governos estaduais e municipais respondam tanto às especificidades próprias como a uma visão integral do turismo no Brasil.

O que é o PRODETUR-PA?

No Estado do Pará, o programa tem como meta contribuir com o desenvolvimento social equilibrado e a melhoria das condições de vida do povo paraense, interiorizando as atividades turísticas e proporcionando às comunidades locais o incremento na renda, respeitando os preceitos do desenvolvimento sustentável. A implantação do PRODETUR no Estado do Pará foi autorizada em âmbito federal pelo Ministério do Planejamento - Secretaria de Assuntos Internacionais, por meio da Recomendação da Comissão de Financiamentos Externos - COFIEX No. 1054/2008 e será executada por intermédio de recursos captados junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Quais os objetivos do PRODETUR-PA?

O objetivo geral do Programa é contribuir com o aumento de emprego formal nos municípios beneficiados, graças à atividade turística. Os objetivos específicos são: fortalecer o turismo nos polos Marajó, Belém e Tapajós e promover o incremento do gasto turístico por meio de investimentos direcionados ao Ecoturismo.

Qual sua área de abrangência?

Os projetos que compõem o PRODETUR-Pará serão desenvolvidos nos polos Belém (Belém continental e insular), Marajó (Soure, Salvaterra e Ponta de Pedras) e Tapajós (Santarém e Belterra). A escolha dos municípios e seus respectivos polos observou como critérios: o fluxo de turistas nacionais e internacionais já existentes nessas regiões, o baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) nas áreas insulares de Belém e no arquipélago do Marajó, e a indicação de Santarém e Belém, dentre as 65 cidades indutoras da atividade turística no Brasil, pelo Ministério do Turismo. Somado a isso, a escolha dos polos não pode pulverizar os recursos a ponto de não produzir resultados concretos e efetivos nas áreas selecionadas. Vale ressaltar que o município de Oriximiná, no Polo Tapajós, também será contemplado quando da execução do projeto indígena e quilombola no referido polo.